Os vigaristas do Biológico




Afinal como sei que estou a comprar produtos biológicos? 
Depois do que nos aconteceu e que conto mais abaixo, do que não tenho dúvida é de que a maior parte dos consumidores não sabe como ter a certeza de que o que está a comprar foi produzido em modo biológico.
E produzir em modo biológico não cabe nestas frases que tanto se ouvem por aí: "Eu compro a um senhor que não usa nada..." ou "O que eu compro é tudo caseiro...".
É essencial, tanto do ponto de vista do consumidor como do produtor, que estes pontos sejam bem esclarecidos. 
E só há um modo, tendo a certeza de que a pessoa ou empresa tem um certificado válido. 

Claro que há sempre aquele argumento "Ah, mas o certificado não impede que se façam vigarices...". Sim, é verdade mas como TUDO na vida, TUDO depende da consciência e da ética profissional de cada um... A agricultura não fica de fora. 

Para praticarmos agricultura biológica temos que seguir determinadas regras, muito estritas, e seguindo essas regras, cuja aplicação é supervisionada, temos um certificado. Esse certificado comprova que a empresa se comprometeu a fazer agricultura de acordo com determinados  princípios e é a esse compromisso que o consumidor deve estar atento. 
Se quer consumir produtos biológicos deve certificar-se de que o local/ empresa onde faz as suas compras tem um certificado válido. Esse certificado tem que estar em local bem visível ou ser mostrado sempre que seja pedido.
Quem diz que faz agricultura biológica ou que vende produtos biológicos mas não tem certificado não está a vender produtos biológicos, está na melhor das hipóteses a vender imitações. Mas seja de que modo for, está a enganar.

E a história que tenho para contar é sobre um desses "xicos espertos" da vida, neste caso vigarista ao quadrado, que decidem vender gato por lebre.
Não vou dizer aqui o nome da empresa, porque como diz o meu filho Duarte e bem, a nossa horta está acessível a qualquer sprayzinho mal intencionado... Mas o protagonista reconhecer-se-á e o lado legal da coisa será tratado onde de direito.
Há umas semanas atrás recebi um telefonema da proprietária de uma mercearia em Lisboa. Dizia que já compravam os nossos produtos desde Dezembro, mas que gostavam de passar a comprar diretamente à Quinta...
"Desculpe mas não é possível, nós não temos revendedores..." "É sim, nós compramos os seus produtos a uma empresa..."
"Nãooo... É impossível! Como se chama essa empresa?"
"Chama-se... Garanto-lhe que o senhor diz que os produtos são da Quinta e depois da nossa insistência para que nos trouxesse o certificado ele até me mostrou foi o vosso!"
Como imaginam não queria acreditar. "Tem a certeza que ele lhe mostrou o nosso certificado?" "Tenho sim, até fiquei com o número" (convém referir que o nosso certificado está acessível a qualquer pessoa no nosso site, como tem que ser).
"Até tem produtos embalados e no rótulo diz que são biológicos". Mostra-me um rótulo onde se lia Rúcula Biológica mas sem o símbolo bio nem a identificação da certificadora, ou seja, seria uma Rúcula Biológica só de nome...

Por falar em nome, vem a propósito outra história que, penso, parece impossível mas é possível e parece impossível porque é legal. É possível usar o nome Biológico, Bio, etc. como nome de marca ou de empresa e vender convencional... É verdade. Por exemplo, "Quinta Biológica" pode ser o nome de uma empresa  que comercialize pneus... Ok, se forem pneus dá para perceber que não são biológicos... Mas se forem alfaces, pergunto eu? Isto já para não falar nas joaninhas que proliferam por aí nos mais variados logótipos nos Produtos Naturais, etc.

Quem está no mercado e faz deste modo de produção a sua vida, ao trair os princípios da agricultura biológica estaria a dar um tiro no pé, mas este senhor como outros que andam por aí, que ninguém conhece e que aparecem a dizer que vendem produtos biológicos sem terem qualquer certificado, não têm nada a perder e muito menos se, por medo de represálias, ninguém se atrever a denunciá-los.
Felizmente a rapariga simpática, proprietária da mercearia, é uma pessoa com consciência e ética profissional e disponibilizou-se para nos ajudar se precisássemos.

Entretanto este fim‑de‑semana fui a um evento onde também se vendiam alimentos biológicos. Quem os vendia estava de boa fé a comprar tudo biológico, mas não sabia que também a sua empresa  tinha que estar certificada. Quando lhe perguntei a quem comprava, com a intenção de podermos ser nós a fornecer, qual não é o meu espanto quando descobri que era o senhor... Sem nome... Incrível, ele anda por aí.

Por favor exijam certificado sempre.

3 comentários:

  1. Na verdade ,existem mts vigaristas por aí ,sempre há caça dos incautos. .

    Foi mt bom falar no certificado ,pois assim estou mais atenta ,pois isto de acreditar em tds .não dá resultado . Obrigada pelo esclarecimento ,e continuem a promover a saúde através dos vossos produtos

    ResponderEliminar
  2. biologico mesmo.. e o que nos proprios temos na nossa horta.porque sabemos o usamos no tratamento.

    ResponderEliminar
  3. biologico mesmo.. e o que nos proprios temos na nossa horta.porque sabemos o usamos no tratamento.

    ResponderEliminar

© A vida de uma alface
Design:Maira Gall.